quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Fugindo à regra do blog.



BAIÃO
Baião, terra de onde se diz 
que todas as ruas terminam no Tocantins,

Terra onde se faz a farinha de pupa, 
colhe a pimenta, e o açaí gelado na cuba.

Terra de vasta natureza, mas que destruída, 
destituída de sua beleza.

Terra de povo contente, pardo, branco, índio, negro, boa gente, 
mas, que saudade, sem queijo quente;

Mas é terra de manissoba, pato no tucupi, jabuti na castanha, tacacá
e, quem diria, frutas típicas: cupuaçu, abio, uxi, bacuri, taperebá.
Quando aqui vim parar, filhos, parentes, amigos deixei por lá;

Para minha surpresa, o mineiro que aqui chegou, sem antes de nada saber
Hoje família, amigos e parentes já vieram, até a sogra veio me ver.
Nada comparado com esta gente que de braços abertos receberam meu ser.

Por isso afirmo sem contestação, 
Baião é terra do coração,
pedacinho do céu... aqui no chão. 

2 comentários:

  1. ZAIR MATOS DE MOURA18 de março de 2012 16:47

    AMEI O ELOGIO A BAIÃO,TERRA ABENÇOADA COM FRUTOS NATIVOS E GENTE BOA!
    SÓ A PARTE QUE OCOU A SOGRA ME INTRIGOU , POIS FOI FRACA A QUEM TE DEU ESSA BELESURA DE MULHER!!!!ABRAÇOS AO CASAL E AOS TRÊS REBENTOS .........

    ResponderExcluir
  2. Olá dna. Zair, é bom ver seu comentário aqui. Quanto à sogra não se trata de um "deselogio", mas para mostrar justamente o contrário da dita regra com relação às sogras.

    ResponderExcluir

A todos os leitores peço que deixem seus comentários. Todos os comentários estarão sendo analisados segundo um padrão moral e ético bíblicos e respondidos à medida que se fizer necessário.